União Europeia decide proibir venda de armas para a Líbia e congela bens de Kadafi

Os representantes da União Europeia – que reúne 27 países – concordaram hoje (25) que serão adotadas medidas de restrição à venda de armas para a Líbia, e de congelamento dos bens do presidente da Líbia, Muammar Kadafi, de sua família e de pessoas ligadas a ele, assim como o cancelamento de seus vistos de entrada nos países ligados ao bloco.

As medidas definidas pela União Europeia foram apenas acordadas pelos representantes dos 27 países e a decisão que levará à aprovação das restrições deve ocorrer nos próximos dias, em data ainda não definida.

Antes, os governos de cada país europeu trabalham na elaboração do texto sobre as sanções e os detalhes a respeito de quem será atingido pela ordem de congelamento dos bens e da suspensão dos vistos de ingresso na Europa.

Desde o último dia 15, a Líbia vive manifestações diárias de protesto contra o governo de Kadafi. O presidente informou que se manterá no cargo e que não pretende renunciar. Porém, três de seus assessores diretos e 12 embaixadores já pediram demissão das funções. Um deles é seu primo e conselheiro Kadafi Al Dam.