Líbia dissemina cautela e bolsas da Europa caem

A continuidade das tensões na Líbia deixou os investidores cautelosos nas principais bolsas de valores europeias. Assim, o índice FTSE-100, de Londres, recuou 1,22%, aos 5,923 pontos. O CAC-40, de Paris, desceu 0,92%, aos 4.013 pontos. Já o DAX, de Frankfurt, diminuiu 1,69% aos 7.194 pontos.

Na Líbia, o atual líder afirmou que não deixará o cargo e a população dá continuidade aos protestos, chegando a enfrentar o que parece estar próximo de uma guerra civil. Enquanto isso, o preço do barril de petróleo se mantém elevado, com a produção da commodity prejudicada no país.

“Tendo esse cenário como pano de fundo, e sendo estas regiões grandes produtoras de petróleo, o mercado fica atento às cotações da commodity. O petróleo negociado em Londres e em Nova York sustentou preços não vistos há pelo menos dois anos e meio, e aumentou as preocupações de que um choque no mercado de petróleo leve a uma maior inflação global”, analisou a ON Investimentos em relatório.

Na agenda econômica interna, as encomendas às fábricas na zona do euro subiram 2,1% em dezembro de 2010, em relação ao mês anterior, segundo dados divulgados hoje pela agência de estatísticas europeia, a Eurostat. E na União Europeia os pedidos aumentaram 2,5% na mesma base de comparação.

Nos Estados Unidos, destaque para as vendas de imóveis usados, que avançaram 2,7% em janeiro de 2011, quando comparadas com o mês anterior, com ajustes sazonais, para uma taxa anualizada de 5,36 milhões de unidades. O número veio melhor do que as estimativas dos analistas.