Cinco voos fretados resgatarão brasileiros na Líbia

Aviões pousarão no país até esta quinta-feira

O Ministério de Relações Exteriores informou nesta quarta-feira que as autoridades da Líbia autorizaram a aterrissagem de cinco voos fretados para o resgate de brasileiros que estão na capital, Trípoli. A maior parte das pessoas que poderão deixar o país norte-africano é composta de funcionários da empreiteira Odebrecht, que realiza obras em território líbio, e seus familiares. Os vôos pousarão na cidade até esta quinta-feira.

Nesta tarde, um navio deixou o Porto de Pireu, em Atenas (Grécia), com destino a Benghazi - segunda maior cidade da Líbia e um dos principais focos de protestos populares - para resgatar um grupo de 148 brasileiros e cidadãos de outras nacionalidades, entre as quais espanhóis, portugueses e um tunisiano.

"O Ministério das Relações Exteriores, por intermédio da Embaixada do Brasil na Líbia, e em estreita coordenação com as empresas brasileiras com funcionários na Líbia, continua trabalhando para viabilizar, no menor tempo possível, a evacuação de cidadãos brasileiros que se encontram nas cidades de Trípoli e Benghazi", disse o Itamaraty, em nota.

Desde o início dos protestos, o embaixador brasileiro na Líbia, George Ney de Souza Fernandes, negocia com a representação diplomática do país norte-africano a expedição de vistos de saída e a consequente retirada de brasileiros da região.

A maior parte dos brasileiros trabalham nas empreiteiras Queiroz Galvão e Odebrecht, que desenvolvem obras no país. Os familiares dos engenheiros, incluindo crianças, devem deixar a Líbia assim que forem liberados os vistos de saída. Alguns profissionais decidiram permanecer no País e enviar apenas esposas e filhos de volta.