Militares egípcios destacam legitimidade do povo

O Conselho Supremo das Forças Armadas do Egito anunciou hoje (11) que vai detalhar em breve as medidas a serem aplicadas no país, assegurando, no entanto, que “não há alternativa à legitimidade do povo”.

Na primeira declaração após a renúncia do presidente egípcio Hosni Mubarak, os militares expressaram seu agradecimento “a todos os mártires que sacrificaram a vida” a favor da liberdade do país.  

A declaração foi lida pelo porta-voz militar, Ismail Etman, e diz que as Forças Armadas estão conscientes do “momento histórico” que vive o Egito. Os militares afirmam que estão conscientes da gravidade da renúncia e também dos pedidos da nação por mudanças.

Os militares divulgaram que o Conselho Supremo das Forças Armadas está avaliando a situação para tomar as medidas necessárias e reiteraram que “não há alternativa à legitimidade do povo”.

O conselho expressou ainda, por meio do comunicado, agradecimento a Mubarack “pelo seu trabalho patriótico durante a guerra e a paz”.

Mubarak renunciou hoje à Presidência do país depois de 18 dias de intensos protestos. O vice-presidente, Omar Suleiman, também renunciou ao cargo.

Ontem (10), o ex-presidente egípcio havia dito que não deixaria o poder, mas cedeu às pressões da comunidade internacional e da própria população anunciando sua saída depois de 30 anos no poder.