Ministra francesa diz que não tentou influenciar na convocação de Blanc

A ministra de Esportes francesa, Chantal Jouanno, afirmou nesta quinta-feira que "não tentou fazer pressão" sobre o técnico da seleção de futebol do país, Laurent Blanc, para que Patrice Evra não fosse convocado para o amistoso de quarta-feira contra o Brasil.

Evra não entrou nesta quinta-feira na lista de Blanc para o confronto com a seleção brasileira, mas o técnico francês afirmou, ao comparecer na sede de Paris da Federação Francesa (FFF), que isso ocorreu "unicamente por critérios esportivos".

Jouanno tentou amenizar a polêmica após demonstrar no sábado ser publicamente contra o eventual regresso de Evra ou de Franck Ribery - atualmente lesionado - à seleção francesa, após seu castigo por "liderar" a rebelião de jogadores no Mundial da África do Sul de 2010.

"Não tentei fazer pressão porque nunca disse a ele (Blanc) se deve convocar um ou outro. Não tenho suas competências esportivas", explicou a ministra em um programa da televisão francesa.

"Cada um tem o seu papel. Ele é o treinador, só ele pode selecionar os jogadores. É livre para isso, não há debate a respeito. A ministra é para defender os valores do esporte", apontou.

Em declarações ao jornal L''Equipe de sábado, Jouanno havia considerado "inadmissível" um possível regresso de Evra ou Ribery, estimando que não se pode "envergonhar" a França com isso.

A uma questão sobre as palavras de Jouanno, Blanc afirmou nesta quinta-feira que não tiveram nenhum efeito na hora de tomar sua decisão e excluir o ex-capitão Evra, que já cumpriu sua suspensão.

"Houve sanções que foram cumpridas. O que me interessa é constituir a melhor equipe e contar com os melhores jogadores possíveis em todas as posições. Minhas escolhas devem-se apenas a critérios esportivos", explicou o técnico.