Human Rights Watch defende corte de ajuda ao Egito após violência

CAIRO - A organização de defesa dos direitos humanos Human Rights Watch (HRW) afirmou que os Estados Unidos deveriam cortar a ajuda ao Egito após a violência contra os manifestantes que exigem a saída de Hosni Mubarak.

"Estados Unidos e União Europeia (UE) deveriam afirmar ao presidente Hosni Mubarak e aos comandantes militares do Egito que as ações do Exército em 2 de fevereiro levantam sérias dúvidas sobre a boa vontade de proteger os manifestantes", afirma um comunicado da HRW.

Segundo a organização, "o fracasso em preservar os direitos humanos fundamentais apontariam para uma suspensão imediata da assistência militar".

O Egito é um dos grandes beneficiários da ajuda americana, com 1,3 bilhão de dólares por ano em ajuda militar.