Transexuais brasileiros são investigados na Itália

ROMA - Dois transexuais brasileiros que vivem clandestinamente na Itália estão sendo investigados pela Procuradoria de Milão por supostamente representarem um risco à saúde pública. De acordo com o vice-prefeito de Milão, Riccardo De Corato, os dois são portadores do vírus HIV e possuem cerca de 300 clientes por mês.

"É presumível que, se continuarem em circulação, vão criar problemas de segurança e serão um risco para a saúde pública, visto a condição de soropositivo informada pelos clientes", afirmou De Corato.

Um tem 26 anos de idade, e o outro, 38. Eles estão em tratamento em um hospital local. O mais novo já tinha sido expulso da Itália.

A agência diz que eles foram descobertos em seus apartamentos, na zona central de Milão, sob denúncia da administração do condomínio.  O proprietário dos imóveis, um italiano de 45 anos, também está sendo investigado sob suspeita de favorecer a imigração clandestina e incentivar a prostituição.