Sarkozy quer rápido início de transição no Egito

PARIS - O presidente da França, Nicolas Sarkozy, pediu nesta quarta-feira que a transição política no Egito comece sem violência e o mais rápido possível, depois que o presidente egípcio Hosni Mubarak se recusou a renunciar na terça-feira, apesar dos protestos da população.

"Depois do presidente Mubarak, o presidente da República (francesa) reitera o desejo de que comece sem demora um processo de transição que permita concretizar o desejo de mudança e de renovação que a população tem expressado com intensidade", afirma um comunicado da presidência presidencia.

O presidente francês também pediu a todos os dirigentes egípcios que façam o possível para que o "processo crucial se desenvolva sem violência".

Em Berlim, o chefe da diplomacia alemã, Guido Westerwelle, celebrou o fato de Mubarak querer "abrir o caminho para uma renovação política". "Temos que ver agora que papel deseja e poderá desempenhar", declarou Westerwelle.

Mubarak se negou na terça-feira a renunciar imediatamente ao poder como exigiram mais de um milhão de pessoas em manifestações nas ruas. Ele se limitou a anunciar que não vai disputar as eleições de setembro.