Egito: Forças Armadas pedem fim dos protestos e governo atenua toque de recolher

CAIRO - As Forças Armadas egípcias pediram nesta quarta-feira que os manifestantes, que há nove dias exigem a renúncia do presidente Hosni Mubarak, encerrem os protestos, em um discurso de um porta-voz militar na televisão estatal.

Além disso, o governo atenuou o toque de recolher imposto na sexta-feira passada no Cairo, Alexandria (norte) e em Suez (leste), as cidades egípcias que lideram a revolta popular contra o regime do presidente Hosni Mubarak.

"O Exército pede aos manifestantes que retornem a suas casas para restabelecer a segurança e a estabilidade nas ruas", declarou o porta-voz militar.

O pedido das Forças Armadas foi feito um dia depois de Mubarak ter anunciado que não vai disputar as eleições presidenciais de setembro, mas que está decidido a cumprir a totalidade de seu mandato.

O discurso de Mubarak foi repudiado pelos manifestantes. Milhares de pessoas passaram a noite na Praça Tahrir, no centro do Cairo, desafiando o toque de recolher, e nesta quarta-feira retomaram os protestos para exigir a renúncia do presidente egípcio.

O toque de recolher, desacatado todos os dias por milhares de pessoas, a partir desta quarta-feira terá início às 17h (13h de Brasília), e não mais às 15h como nos últimos dias, e prosseguirá até 7h (3h de Brasília), ao invés das 8h.

A agência oficial MENA informou que a decisão foi tomada pelo presidente Hosni Mubarak e será aplicada a partir desta quarta-feira.