Tunísia cria novo sindicato, o segundo da história do país

Um novo sindicato foi constituído nesta terça-feira em Túnis, por um ex-líder da poderosa União Geral de Trabalhadores Tunesianos (UGTT), única organização legal desde a independência, informou uma fonte sindical e a agência TAP.

Batizado de "Confederação Geral Tunesiana do Trabalho" (CGTT), e com sede em Túnis, o sindicato será dirigido por Habib Guiza, ex-secretário geral da seção da UGTT em Gabes (sul) nos anos 1980.

A CGTT quer "impulsionar e promover o movimento sindical em Túnis, permitir aos assalariados aderir livremente (...) e contribuir para a aplicação de uma série de reformas para melhorar e modernizar as atividades sindicais", segundo a agência oficial TAP.

"Não se trata de uma exceção no seio da UGTT. A UGTT não compete com esta confederação", declarou à AFP Abid Briki, secretário-geral adjunto da UGTT, que lembrou que Guiza deixou a central há vários anos.