Líder das Mães da Praça de Maio: Dilma e Kirchner são revolucionárias

BUENOS AIRES - A líder das Mães da Praça de Maio, Hebe de Bonafini, classificou como "bela" a reunião que teve com a presidente Dilma Rousseff e a mandatária argentina, Cristina Kirchner, junto com outras organizações de direitos humanos. Para Bonafini, as chefes de Estado "são mulheres revolucionárias que lutaram ao lado dos nossos filhos e se tornaram presidentes".

Dilma foi presenteada com um lenço branco, símbolo do movimento, durante o encontro que mantiveram na Casa Rosada, sede do governo argentino. A presidente Dilma negou que as representantes da associação tenham pedido a abertura dos arquivos da ditadura militar no Brasil. "Elas fizeram uma manifestação imensa de carinho por mim, identificando em mim o que elas perderam ao logo dos anos".

As Mães da Praça de Maio se identificam com a presidente Dilma por também terem a história ligada à luta contra a ditadura militar. A associação de mães e avós foi criada há 30 anos, durante a ditadura argentina, entre 1976 e 1983, e cobram o paradeiro dos desaparecidos políticos e a punição dos envolvidos em tortura e assassinatos durante o período. Nos lenços brancos que usam na cabeça está escrito o nome do desaparecido político.