Pequim acompanha de perto e censura acontecimentos no Egito

PEQUIM - O governo da China informou nesta segunda-feira que acompanha de perto os acontecimentos no Egito, ao mesmo tempo que persiste a censura das informações sobre as manifestações que mataram pelo menos 125 pessoas em uma semana.

"A China acompanha de perto a evolução da situação no Egito", afirma em um comunicado o porta-voz do ministro chinês das Relações Exteriores, Hong Lei.

"O Egito é amigo da China e esperamos que a estabilidade social e a ordem pública sejam restauradas o mais rápido possível no Egito", completa o texto.

A palavra "Egito" prossegue censurada em vários blogs da China, onde o Partido Comunista, que ignora as reivindicações democráticas e teme alterações da ordem pública, pode temer um efeito de contágio.

A censura é muito ativa na China para impedir qualquer crítica ao governo ou menção ao tema direitos humanos.