Bill Gates pede a países doadores que o ajudem a acabar com a poliomielite

O cofundador da Microsoft e filantropo Bill Gates pediu às nações desenvolvidas que o ajude a acabar com a poliomielite de uma vez por todas, em sua terceira carta anual divulgada nesta segunda-feira.

"A maioria das pessoas que vive nos países ricos dão por certo que esta doença está erradicada e que não afeta mais as crianças. Mas ainda é uma presença aterradora em muitos lugares do mundo", escreve Gates em carta divulgada pela fundação que leva seu nome.

"Graças à generosidade dos doadores, estamos perto de acabar com a poliomielite de uma vez por todas".

A carta foi publicada dias depois que Gates e o primeiro-ministro britânico, David Cameron, prometeram no Fórum Econômico de Davos uma doação de 130 milhões de dólares para ajudar na erradicação desta doença que leva à paralisia.

A pólio está a ponto de virar a segunda doença, depois da varíola, a ser erradicada: no ano passado, foram informados 946 casos no mundo.

Mas esta doença potencialmente mortal continua sendo endêmica em quatro países (Afeganistão, Índia, Nigéria e Paquistão), e recentemente reapareceu no sudeste da África.