Papa pede à Italia que recupere as "raízes espirituais e morais"

O Papa Bento XVI fez um apelo nesta sexta-feira "à sociedade e às instituições" da Itália a recuperarem suas "raízes espirituais e morais", em referência ao escândalo sexual que abala o país, envolvendo o chefe de governo Silvio Berlusconi.

"Os novos desafios que temos pela frente exigem (...) que a sociedade e as instituições públicas recuperem a própria alma, suas raízes espirituais e morais", disse o Papa ao receber no Vaticano representantes da polícia de Roma.

Sem mencionar explicitamente o primeiro-ministro Silvio Berlusconi, acusado pela promotoria de indução à prostituição de menores, o papa convidou os italianos a darem "uma nova consistência aos valores éticos e jurídicos de referência".

O chefe da igreja Católica reconheceu que as "profundas mudanças" vividas pela sociedade atual, "geram sentimentos de insegurança, devido à precariedade social e econômica".

"Tem-se a impressão de que nosso mundo, com suas esperanças e possibilidades, atravessa, ao mesmo tempo, uma falta de consenso moral", afirmou o pontífice.

Na quinta-feira, o Vaticano marcou distância de Silvio Berlusconi, depois de uma incomum advertência do secretário de Estado da Santa Sé, Tarcisio Bertone, que pediu mais moralidade à classe dirigente italiana.

O primeiro-ministro é investigado pelo caso da jovem marroquina, conhecida como "Ruby", que teria mantido relações sexuais pagas com o chefe de governo quando era menor de idade.

Berlusconi nega as acusações, contra-atacando os juízes, que o estariam perseguindo "injustamente" e com "fins políticos".