Governo da Argélia pede que população não faça manifestações amanhã

ARGEL - As autoridades argelinas pediram à população que não responda a uma convocação da oposição para uma manifestação no sábado no centro de Argel a favor de uma abertura democrática. "Pedimos aos cidadãos que demonstrem sensatez e não respondam a eventuais provocações destinadas a afetar a tranquilidade e serenidade", afirma um comunicado da wilaya (prefeitura) de Argel.

A wilaya recorda que "as passeatas não estão autorizadas" e que "qualquer manifestação em via pública é considerada um atentado à ordem pública". As manifestações são proibidas na Argélia por um estado de urgência em vigor desde 1992.

A manifestação, convocada por um partido de oposição, a Assembleia para a Cultura e a Democracia (RCD), que tem 19 deputados de um total de 385, pretende seguir até a sede do Parlamento.

Durante cinco dias no início do mês, a Argélia foi cenário de distúrbios que deixaram cinco mortos e mais de 800 feridos, além de danos materiais.