Chávez pede participação da oposição em projeto político da Venezuela

CARACAS - Com uma forte oposição na Assembleia Nacional (o Parlamento) da Venezuela, o presidente Hugo Chávez apelou para que os oposicionistas se “engajem” no projeto político nacional. Segundo ele, é necessário que a “direita” faça um pacto com o governo para evitar a possibilidade de recuo político e o fim da democracia. As informações são da imprensa oficial do país, a Agência Venezuelana de Notícias (AVN).

"É um chamado para o pacto, sem a 'repolitização' e o risco de uma política de recuo porque muitos de vocês têm um pé no golpismo e outro na democracia”, afirmou Chávez.

Em setembro de 2010, o grupo político do presidente conseguiu eleger 95 dos 165 parlamentares da Assembleia Nacional, mas não obteve a maioria desejada que era de 110. Desde então, Chávez passou a ter de lidar com a presença da oposição no Parlamento, o que não ocorria há anos.

O vice-presidente da Assembleia, deputado Aristóbulo Istúriz, levou a mensagem de apelo de Chávez ao Parlamento. Segundo ele, a principal discussão no momento na Venezuela é a questão da propriedade privada e a reforma agrária. “O que está sendo dito é o objetivo de socializar os meios de produção e não proibir a propriedade individual", disse.

Para Istúriz, é fundamental analisar o que foi feito, mas também avançar na área de reforma agrária na Venezuela. "O passado é importante, devemos começar a partir de um ponto no passado para saber o quanto nós progredimos ou regredimos”, disse.

O parlamentar se referiu ainda ao processo de privatização desenvolvido na década de 90, quando foram vendidas empresas, consideradas estratégicas para o Estado, a grupos privados. Ele citou entre os compradores norte-americanos e europeus.