Na Argentina, Patriota critica censura a livros de Paulo Coelho no Irã

Brasília - O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, criticou hoje (11) o que classificou como “censura” aos livros do escritor Paulo Coelho no Irã. Ele disse que entrou em contato com a Embaixada do Brasil em Teerã para saber quais medidas podem tomadas no caso.

O suposto banimento às obras de Coelho naquele país foi anunciado ontem (10) pelo próprio escritor em seu blog. Segundo o editor de Coelho, o veto ocorreu sem justificativa.

“Faço minhas as palavras da ministra da Cultura, Ana de Hollanda, que [se disse] contra a censura e a favor da liberdade de expressão, como também foi mencionado pela presidente Dilma [Rousseff] em seu discurso de posse. E voltaremos ao assunto quando tivermos mais elementos”, afirmou Patriota.

As declarações do chanceler foram feitas durante entrevista a jornalistas brasileiros, na Embaixada do Brasil em Buenos Aires, no encerramento de sua primeira viagem ao exterior como ministro de Relações Exteriores.