Equador decreta estado de emergência no sistema público de saúde

Brasília – O presidente do Equador, Rafael Correa, decretou hoje (10) estado de emergência em todo sistema público de saúde do país. A decisão foi anunciada depois de uma reunião com o ministro da Saúde, David Chiriboga. Segundo assessores, a medida foi tomada na tentativa de organizar o sistema e melhorar a qualidade dos serviços prestados à população. As informações são da Agência Pública de Notícias do Equador e da América do Sul (Andes).

Correa disse que vai liberar recursos para "responder de forma eficaz" e “restaurar” a confiança no sistema público de saúde. Segundo ele, a intenção é aumentar em 6% o orçamento geral para a área, que é atualmente de US$ 3 milhões.

Pelos dados do Ministério da Saúde Pública, são necessários mais leitos para atender à demanda do país e é preciso aumentar o número de profissionais da área – médicos, enfermeiros e técnicos. A carência, de acordo com as autoridades, estende-se pelas principais cidades equatorianas.

Recentemente, o governo equatoriano registrou 39 casos de Influenza A (H1N1) – gripe suína, na capital, Quito, e nos arredores. Porém, as autoridades negaram o risco de surto ou epidemia. As principais queixas da população referem-se ao atendimento primário – que se destina aos primeiros contatos entre os pacientes e o profissional de saúde para definir o tratamento a ser dado a cada caso.