Viúva de ditador filipino recupera mansão confiscada em 1986

MANILA - A Justiça filipina devolveu a Imelda Marcos, a viúva do ex-ditador Ferdinand Marcos, uma imensa propriedade confiscada durante a revolta popular de 1986 devido a um problema de procedimento, informaram fontes judiciais. "Estou muito feliz. Esta propriedade é muito importante para mim, pois lá nasceu meu pai", declarou a viúva de 81 anos, que ficou famosa por sua coleção de milhares de sapatos.

A Suprema Corte das Filipinas baseou sua decisão no fato de que o documento que tornava oficial o confisco foi assinado por um funcionário não habilitado. Para o atual governo, dirigido pelo presidente Benigno Aquino, Imelda Marcos adquiriu a propriedade com dinheiro roubado dos cofres públicos. A mansão, situada na ilha de Leyte, possui 17 cômodos, um campo de golfe, uma piscina e vários pavilhões.

Desde 1986, quando uma revolta popular provocou a queda do ditador, uma comissão governamental encarregada de recuperar os fundos desviados pela família Marcos obteve 85,64 bilhões de pesos (1,954 bilhão de dólares).

De volta do exílio em 1991, em maio passado, Imelda Marcos foi eleita deputada no Parlamento filipino, e seu filho, Ferdinando Jr., 52 anos, senador. Sua filha Imée, 56 anos, foi eleita governadora da província de Ilocos Norte, reduto da família.