Milhares de estudantes italianos saem às ruas em protesto contra o governo

ROMA - Milhares de estudantes fazem manifestações nesta terça-feira nas grandes cidades da Itália para protestar contra o governo e sua reforma das universiades, em um dia crucial para o futuro político do chefe de Governo, Silvio Berlusconi.

Em Palermo (Sicília), mais de 500 estudantes bloquearam por alguns instantes o aeroporto ao ocuparem a pista de aterrissagem. Eles exibiram um cartaz onde se podia ler: "Vamos bloquear tudo, vão todos embora". Nenhum avião pôde aterrissar ou descolar, segundo a empresa que gerencia o aeroporto. Outros estudantes tomaram estações ferroviárias, interrompendo o tráfego dos trens, antes de se dirigirem para o porto.

Em Milão (norte), 50 estudantes invadiram a sede da Bolsa de Valores e exibiram o cartaz: "Vocês são um bando de especuladores racistas, e têm que nos dar dinheiro". Quando foram expulsos do prédio, começaram a jogar pedras e a gritar contra a reforma.

Em Roma, os protestos reuniram 100 mil pessoas, segundo os organizadores, em sua maioria estudantes, mas também desempregados, trabalhadores insatisfeitos e moradores de L'Aquila, a cidade que foi destruída pelo terremoto de abril 2009.

As forças de segurança controlavam o centro da capital, bloqueando os acesos ao Senado e à Câmara dos Deputados, onde acontece a votação de uma moção de apoio e outras duas de censura a Berlusconi.

As manifestações provocaram também engarrafamentos em outras cidades, como Cagliari (Sardenha, norte) e Bari (sul).

A reforma da universidade prevê a fusão dos estabelecimentos menores, o acesso aos conselhos de administração de especialistas externos ao mundo acadêmico e a redução dos mandatos dos reitores.