Incêndio em fábrica têxtil deixa quatro mortos e 100 feridos em Bangladesh

DACCA - Quatro operários morreram e 100 ficaram feridos no incêndio em uma fábrica têxtil na periferia de Dacca, capital de Bangladesh. Segundo a polícia, muitos dos 100 feridos encontram-se em estado grave. O fogo se propagou na fábrica Hamin Group de Ashulia, onde trabalham mais de 14 mil pessoas, em uma zona industrial ao norte de Dacca.

Na véspera, milhares de operários têxteis que fabricam roupa para as principais marcas ocidentais bloquearam estradas e ocuparam fábricas em Bangladesh, um dia depois da morte de quatro manifestantes que protestavam contra seus baixos salários.

Segundo a polícia, cerca de 5.000 operários realizaram um protesto numa fábrica de Gazipur, norte do país, e outros 5.000 trabalhadores interromperam sua atividade na zona exportadora de Ashulia, noroeste de Dacca.

Os operários, quatro dos quais morreram no domingo quando a polícia abriu fogo contra manifestantes, pedem um aumento de seu salário mínimo aprovado pelo governo em julho passado. As 4.500 fábricas têxteis de Bangladesh, onde se produz roupa para varejistas como Wal-Mart, H&M e Levi Strauss, pagam a seus trabalhadores cerca de 3.000 taka (43 dólares) por mês, um aumento de 80% em relação a 2006.

No domingo, quatro pessoas morreram na cidade portuária de Chittagong (sudeste), quando a polícia disparou e lançou gases lacrimogêneos para tentar controlar os distúrbios. Os tumultos também ocorreram em função do anúncio do fechamento por parte do grupo sul-coreano Youngone de suas 17 fábricas no país.