Pastor extremista é convidado a dar conferência na Inglaterra

Em setembro, Terry Jones ameaçou queimar exemplares do Alcorão

LONDRES - O pastor extremista americano Terry Jones foi convidado por uma organização de extrema direita a dar uma conferência na Inglaterra, em fevereiro, "contra os demônios e a capacidade de destruição do Islã", gerando protestos no Reino Unido.

O pastor provocou escândalo e protestos internacionais em setembro, quando ameaçou queimar centenas de exemplares do Alcorão, no dia do aniversário dos atentados de 11 de Setembro em Nova York.

Segundo o site do pastor, ele foi convidado a falar para o grupo extremista English Defense League em Luton, uma cidade no norte de Londres com uma grande população muçulmana, para denunciar "os demônios e a capacidade de destruição do Islã, em apoio ao combate contra a islamização da Inglaterra e Europa".

A associação pacifista "Hope not Hate" (Esperança, e não ódio) denunciou o projeto da visita do pastor ao Reino Unido, estimando que pode apenas estimular o ódio e a violência.

"O pastor Terry não deveria ser autorizado a colocar o pé no Reino Unido. Apenas os extremistas podem tirar proveito de sua visita, e, como se sabe, o extremismo alimenta o ódio e o ódio alimenta a violência", avliou o diretor da associação Hope not Hate.

Um porta-voz do ministério do Interior indicou à AFP que o governo "não faz comentários sobre casos individuais".

O ministério do Interior pode intervir para impedir a entrada no país ou expulsar uma pessoa que atenta contra a ordem pública ou a segurança das pessoas ou do país.