Berlusconi recebe apoio em dezenas de cidades da Itália

ROMA - Milhares de pessoas se manifestaram neste domingo em dezenas de cidades da Itália, para apoiar Silvio Berlusconi, cujo governo enfrentará uma moção de censura na Câmara dos Deputados na próxima terça-feira. Convocados pelo partido do chefe de governo, o Povo da Liberdade (PDL), os manifestantes ocuparam as ruas sob o lema "Todos com Berlusconi pela Itália".

Em Roma, a manifestação ocorreu diante do Palácio dos Congressos, na periferia da capital, onde foi exibido um vídeo da mensagem de Berlusconi transmitida no sábado.

"Há meses, a vida pública italiana está paralisada por uma crise política irresponsável (...), uma crise fabricada com mentiras e calúnias contra o presidente do Conselho", disse Berlusconi na mensagem a seus partidários. "O objetivo da esquerda e dos traidores de seu mandato eleitoral é apenas um: se livrar de Silvio Berlusconi, que representa para eles um obstáculo insuperável na conquista do poder, algo que querem atingir a qualquer preço".

Na terça-feira serão votadas duas moções no Congresso: uma de confiança ao governo Berlusconi, no Senado, e outra de censura, na Câmara dos Deputados. "Todos dirão não aos que tiverem a vergonha de trair o voto do povo, mas esperamos que não façam isto", disse Berlusconi, em clara alusão a seus antigos aliados liderados por Gianfranco Fini.

Berlusconi, com o apoio da Liga do Norte, tem uma maioria folgada no Senado, mas está ameaçado na Câmara dos Deputados após a ruptura com Gianfranco Fini, que se uniu a dissidentes do PDL.

Na manifestação em Milão, a prefeita da cidade, Letizia Moratti, ex-ministra da Educação de Berlusconi, discursou para afirmar que "este é o governo eleito pelo país, e por isto deve continuar".

No sábado, milhares de pessoas participaram em Roma de um protesto contra Berlusconi, convocado pelo Partido Democrata (PD), o principal da oposição, sob o lema "com a Itália que quer mudar". Passeatas saíram da Praça da República, na zona da estação ferroviária central de Termini, e da estação de trens de Ostia, e terminaram na Praça São João Latrão, no nordeste da capital.

Na Praça da República, uma gigantesca bandeira vermelha pedia "Outra Itália", enquanto prefeitos da Toscana se fantasiavam de Harry Potter para dizer que não podem fazer mágica na administração de seus municípios.