Iraniano é condenado a ter olhos queimados, segundo lei de talião

TEERÃ - A suprema corte iraniana condenou um homem a ter os olhos queimados com ácido, segundo a leião de talião. Ele seria culpado de ter feito o marido de sua amante perder a visão. Segundo o jornal Irã, Mojtaba, de 25 anos, jogou ácido sobre Alireza, de 25 anos e motorista de táxi na cidade sagrada de Qom (centro), depois de uma "relação ilícita" com a esposa deste último, Mojedh, da mesma idade.

A Suprema Corte confirmou a sentença proferida por um tribunal, ou seja, uma condenação à cegueira por ácido, em conformidade com a lei islâmica (Sharia), que permite aplicar a lei de talião quando se trata de crimes violentos.

Segundo o jornal, o promotor de Qom, Mostafa Barzegar Ganji, estimou que esta sanção foi aplicada porque a vítima insistia em obter "a pena Quisas", o termo islâmico para a noção de "olho por olho".

"Pedimos a especialistas de medicina legal que supervisem a operação destinada a deixar o condenado cego", informou o promotor. Vários ataques com ácido foram registrados nos últimos anos.

Em fevereiro de 2009, Majid Movahedi foi condenado à cegueira total após ser declarado culpado de jogar ácido em uma colega de faculdade, Ameneh Bahrami, que havia rejeitado sua proposta de casamento. Não foi informado se a pena foi executada.