Rússia pede acesso consular 'urgente' a suposto traficante de armas

A Rússia pediu aos Estados Unidos que permita urgentemente que funcionários consulares daquele país tenham acesso ao suposto traficante de armas russo Viktor Bout, após sua extradição da Tailândia, disse esta quarta-feira o ministro das Relações Exteriores, Sergei Lavrov.

"Os Estados Unidos são obrigados a cumprir as normas internacionais. Esperamos que isto seja feito urgentemente", noticiou a agência Interfax, citando declarações do chanceler russo a jornalistas em Abuja, capital da Nigéria.

"Se for adiado o acesso consular, esta será outra violação das normas internacionais, as quais foram quebradas mais de uma vez neste caso", acrescentou a fonte.

Viktor Bout se declarou inocente perante um tribunal de Nova York esta quarta-feira, no dia seguinte de sua extradição da Tailândia, o que desatou a ira da Rússia.

"Ele de declarará inocente", disse o advogado de Bout perante o tribunal federal de Nova York antes que a juíza Shira Scheindlin ordenasse que fosse mantido preso até a audiência, em 10 de janeiro.

Se for considerado culpado, Bout, de 43 anos, pode ser condenado à pena máxima de prisão perpétua e mínima de 25 anos.