Berlusconi enfrenta moções de confiança em dezembro

 

O primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, enfrentará no dia 14 de dezembro "simultaneamente" no Parlamento duas moções de confiança - uma a favor, no Senado; e outra contra, na Câmara de Deputados, informaram nesta terça-feira meios de comunicação locais.

A coalizão de Berlusconi ainda detém possivelmente a maioria no Senado e a minoria na Câmara, após a saída do governo na segunda-feira de ministros leais a seu ex-aliado Gianfranco Fini.

A decisão de apresentar as moções de confiança foi tomada numa reunião dos presidentes das duas Casas com o presidente da República, Giorgio Napolitano.

Antes da votação, o Parlamento deverá aprovar o Orçamento para 2011, segundo as fontes.

A demissão na segunda-feira de quatro membros do governo Berlusconi abriu oficialmente a crise política na Itália, embora isso não pressuponha a queda do magnata das comunicações.

Com a saída dos dissidentes do governo conservador, o primeiro-ministro deve reformular o gabinete, depois de ter perdido o apoio de um de seus principais aliados, Gianfranco Fini, presidente da Câmara de Deputados e líder do FLI.

O magnata e primeiro-ministro italiano até agora nega-se a renunciar ao cargo, apesar da crise política e das solicitações feitas, tanto pela oposição de esquerda quanto por seus ex-aliados.

As pressões para que Berlusconi deixe o cargo aumentaram devido à grave situação de paralisia econômica e às novas revelações sobre escândalos sexuais.

Para tentar recuperar impulso político, Berlusconi anunciou sábado que se submeteria ao voto de confiança no Parlamento, só depois de aprovado "definitivamente" o orçamento do governo para 2011, o que ocorrerá provavelmente antes de meados de dezembro.

O partido de Fini, que garante a maioria na Câmara de Deputados, comprometeu-se a votar a lei em sinal de "responsabilidade" para com o país, que atravessa uma grave crise econômica e moral.