Papa responde à mensagem de Ahmadinejad, mas conteúdo da carta não é revelado

O Papa Bento XVI enviou uma mensagem ao presidente iraniano em resposta a uma carta de Mahmoud Ahmadinejad de outubro, na qual ele pedia uma "cooperação estreita" pela defesa da liberdade religiosa, anunciou nesta quarta-feira o Vaticano.

Na missiva, o dirigente iraniano desejava um esforço comum para lutar contra a secularização das sociedades e para "mudar as estruturas tirânicas que governam o planeta", afirmando que o Irã "considera uma de suas prioridades a colaboração estreita e o desenvolvimento de relações bilaterais com o Vaticano".

Ele igualmente agradeceu ao Vaticano por ter "condenado a tentativa imprudente" do pastor Terry Jones que queria queimar um volume do Alcorão no último dia 11 de setembro.

A resposta de Bento XVI foi enviada na terça-feira ao chefe de Estado iraniano pelo cardeal Jean-Louis Tauran, presidente do Conselho Pontificial pelo Diálogo Interreligioso, atualmente em Teerã para uma reunião organizada em conjunto pelo Ministério e o Centro pelo Diálogo Interreligioso da "Islamic Culture and Relations Organisation" (Icro), informou nesta quarta-feira o padre Benedettini, porta-voz do Vaticano, à imprensa.

O padre Benedettini não revelou o teor da mensagem, confirmando apenas que ele havia respondido à carta que Ahmadinejad enviou através de seu vice-presidente Mohammad Reza Mirtajoddini em 6 de outubro.