Afegãs se queimam para fugir de casamento

Oprimidas pelas famílias, muitas tentam suicídio

 

Até as famílias mais pobres no Afeganistão têm fósforo e gás de cozinha. A combinação, que dá sustentação à vida, também pode ser ferramenta para a morte – para fugir da pobreza, dos casamentos forçados, dos abusos e do desalento que, em geral, afetam as mulheres afegãs.

Uma noite antes de ter ateado fogo em si mesma, Gul Zada levou os filhos para uma festa na casa da irmã. Tudo parecia bem. Mais tarde, descobriram que Gul não levou presente, e um parente gritou com ela, conta o filho Juma Gul.

>> Leia a reportagem completa no JB Digital