Advogado ligado a Nobel da Paz é impedido de deixar a China

PEQUIM - Mo Shaoping, um advogado ligado ao vencedor do prêmio Nobel da Paz, o dissidente chinês preso Liu Xiaobo, afirmou à AFP que não recebeu autorização para deixar a China, em uma aparente tentativa do governo de Pequim de impedir que os amigos de Liu compareçam à entrega do prêmio em Oslo em dezembro.

"Acaba de acontecer. Fui impedido de sair na alfândega, no controle da imigração. Estou voltando do aeroporto", disse à AFP por telefone. "Me explicaram que era porque eu poderia prejudicar os interesses nacionais", lamentou. Shaoping explicou que pretendia viajar a Londres para assistir a uma conferência internacional de advogados.

Ele disse ainda que as autoridades chinesas impediram sua saída com o temor de que ele viaje a Oslo, que ele não tinha planos de visitar.

Ativistas dos direitos humanos na China sofrem, de acordo com várias ONGs, uma repressão maior desde a atribuição do Nobel da Paz a Liu Xiaobo. O intelectual, detido em penitenciária do nordeste da China, se tornou em 8 de outubro o primeiro cidadão chinês a vencer o Nobel da Paz, uma premiação que segundo o regime comunista equivale a "estimular o crime".