Alemanha aprova lei que prolonga vida útil de usinas nucleares

Uma lei que prolonga o tempo de vida útil das 17 usinas nucleares do Alemanha, foi aprovada pela Câmara de Deputados alemã, o Bundestag. A lei que é vista como polêmica por militantes ecologistas, tem contrariado a opinião pública, o que tem promovido debates e manifestações contra ela. Em forma de protesto, os deputados verdes se vestiram de preto.

"O governo prometia uma revolução energética, nas se trata de um golpe", disse o chefe da bancada dos deputados ecologistas, Jürgen Tritti

Apesar hostilidade da população, o Bundestag, onde a maioria pertence a coalizão governamental conservadora-liberal, aprovou por 308 a favor e 289 contra um texto adotado em Conselho de ministros um mês antes, que prorroga por 12 anos, em média, o funcionamento das usinas nucleares após 2021, data prevista para seu fechamento.

A saída da energia nuclear foi decidida, em 1998, pelo governo de esquerda da época, mas a coalizão de centro-direita de Angela Merkel, no poder há pouco mais de um ano, havia feito da anulação desta lei um dos pontos centrais de seu programa.

Na manhã desta quinta-feira, o Greenpeace estendeu na sede do Partido Democrata-cristão (CDU), de Merkel uma foto gigante da chanceler com o diretor do grupo RWE, Jürgen Grossman, o mais ativo porta-voz do lobby nuclear.

Dois mil militantes ecologistas também formaram uma corrente humana em torno do Reichstag, onde estavam os deputados alemães.