Distúrbios em Israel durante um desfile extremista em cidade árabe

Dois deputados árabe-israelenses ficaram feridos nesta quarta-feira nos distúrbios registrados na cidade árabe de Um el Fahem durante uma manifestação de dezenas de extremistas de direita judeus, considerada uma provocação.

A calma voltou depois de uma hora de confrontos entre contramanifestantes árabes e a polícia, que informou sobre dez prisões.

No momento em que cerca de 70 manifestantes judeus chegavam à cidade, no norte de Israel, a polícia lançou granadas de gases lacrimogêneos, granadas de feito moral e usou um canhã de água para dispersar os contramanifestantes que jogavam pedras contra os policiais e manifestantes judeus.

"Liberdade para a Palestina!", gritavam os manifestantes agitando bandeiras palestinas. "Morte aos terroristas!", respondiam os militantes judeus, que pediam a proibição do Movimento Islâmico Israelense e a prisão perpétua para o chefe de sua facção radica, xeque Raed Salah, que passou vários anos na prisão por seus vínculos com os islamitas do Hamas.

Mais de mil policiais, incluindo a unidade de polícia montada e guardas de fronteira, controlaram o setor, apoiados por um helicóptero.

O ministro trabalhista encarregado das minorias, Avichai Braverman, denunciou a manifestação como "provocação destruidora".

O protesto foi autorizado pelo Supremo Tribunal depois de um recurso dos organizadores contra a recusa da polícia, segundo a imprensa local.