Presidente do Equador substitui secretário da inteligência após rebelião

     QUITO - O presidente do Equador, Rafael Correa, substituiu o secretário de Inteligência, depois de admitir que o serviço falhou, ao não alertar sobre a rebelião policial de 30 de setembro passado, segundo decreto publicado nesta terça-feira.

Correa nomeou para o cargo o vice-almirante da reserva Homero Arellano, ex-comandante da Marinha, em substituição a Francisco Jijón, que exercia o cargo desde junho de 2009. Arellano, especialista em desenvolvimento marítimo, ocupava o cargo de secretário-geral da vice-presidência.

O governante assinalou falhas nos serviços de inteligência, que não advertiram sobre a rebelião que deixou 10 mortos e 274 feridos, e que denunciou como tentativa de golpe de Estado.