Portugal: presidente Cavaco Silva é candidato à reeleição

O presidente português, Anibal Cavaco Silva, no poder desde 2006, anunciou na noite desta terça-feira sua candidatura à reeleição na votação que será disputado em 23 de janeiro.

"Depois de refletir longamente, decidi voltar a me apresentar (candidato) à Presidência da República", disse o presidente de centro-direita em discurso transmitido ao vivo pelos meios de comunicação portugueses.

"Diante da situação extremamente difícil em que Portugal se encontra, concluí que tinha o dever de voltar a me apresentar (...). Com a minha experiência e os meus conhecimentos, posso ajudar o país", acrescentou.

Apoiado pelos dois partidos da direita parlamentar, o presidente é o favorito nestas eleições, segundo as últimas pesquisas de opinião.

Até agora há quatro candidatos declarados: Manuel Alegre, apoiado pelo Partido Socialista e pelo Bloco de Esquerda (BE, extrema esquerda); Francisco Lopes, pelo Partido Comunista; e dois independentes: Fernando Nobre e Defensor de Moura.

Em Portugal, o presidente é eleito por sufrágio universal para um mandato de cinco anos, com direito à reeleição.

Aos 71 anos, Cavaco Silva teve uma ascenção brilhante no Partido Social-democrata (PSD, centro-direita), ao qual conduziu a duas maiorias consecutivas nas legislativas de 1985 e 1991.

Após dez anos à frente do governo (1985-1995), período no qual comandou profundas reformas econômicas, Cavaco Silva fez um retorno triunfal na arena política em janeiro de 2006, eleito um ano depois da vitória, por maioria absoluta, do Partido Socialista de José Sócrates.

Economista liberal e ex-ministro das Finanças (1980-1981), Cavaco Silva conserva seus princípios conservadores. Católico praticante, defendeu os valores da família, manifestando sua oposição aos casamentos entre homossexuais, autorizados pelo Parlamento português, em fevereiro passado.