Novo prefeito de Moscou é confirmado pela assembleia local

      MOSCOU - O novo prefeito de Moscou, Serguei Sobianin, ligado ao primeiro-ministro Vladimir Putin, foi confirmado nesta quinta-feira no cargo, por esmagadora maioria, pela assembleia local, depois de ter sido nomeado pelo Kremlin na semana passada.

Sobianin, um 'aparatchik' de 52 anos, natural da Sibéria, trabalhou com Putin quando este era presidente e o acompanhou quando ele foi nomeado premier. Foi designado prefeito da capital russa na sexta-feira passada pelo presidente Dmitri Medvedev.

Desde a reforma de 2004, o prefeito da capital - assim como os outros governadores da Federação da Rússia - não é eleito por voto universal, e sim designado pelo Kremlin.

O controle da capital, uma cidade de 10 milhões de habitantes para onde converge o fluxo financeiro do petróleo e onde a política russa é decidida, é de grande importância em um país muito centralizado.

O ex-prefeito Yuri Luzhkov, que ficou 18 anos no poder e que aos 74 anos era um dos últimos grandes personagens da política russa capaz de enfrentar o Kremlin, foi destituído em 28 de setembro após uma batalha política.

Luzhkov era um crítico do processo de designação dos prefeitos e questionava a capacidade do presidente Medvedev de modernizar o país.

Com sua destituição, o Kremlim concluiu a tomada de controle de regiões importantes. Antes o presidente do Tatarstão, Mintimir Chaïmiev, também havia sido destituído.

Luzhkov era acusado pelo governo central de ter colocado a capital russa a serviço dos interesses da esposa, a bilionária Elena Baturina, que em poucos anos construiu um império no setor imobiliário e de obras públicas.