Êxito republicano em novembro pode afetar projeto Obama para 2012

      WASHINGTON - A provável vitória republicana nas eleições legislativas de 2 de novembro pode criar um problema ao presidente Barack Obama para sua tentativa de reeleição em 2012, particularmente em alguns estados chave, que podem cair nas mãos da oposição. Consciente do risco, Obama e seu vice-presidente, Joe Biden, percorrem os Estados Unidos de leste a oeste há várias semanas, com atenção particular para os estados cruciais em que o chefe de Estado venceu em 2008.

Mas a menos de duas semanas das eleições legislativas e locais, os democratas estão em situação ruim nas pesquisas para manter o governo de vários estados. São superados por sete pontos em Ohio (norte) e por 10 pontos na Pensilvânia (leste), segundo a média das sondagens elaborada pelo site RealClearPolitics. Nos dois estados, afetados em cheio pela crise econômica, um governador republicano pode criar uma onda favorável ao candidato da oposição à Casa Branca em 2012. Segundo as pesquisas, até 10 cadeiras de governador podem passar para o lado republicano.

"As eleições de governadores são provavelmente as mais cruciais", destacou Chris Kofinis, estrategista político democrata. "A razão pela qual a Casa Branca faz campanha em alguns deste estados chaves é que eles são tradicionalmente decisivos para a eleição de presidente e serão novamente em 2012", disse Kofinis, antes de destacar que a vantagem dos republicanos pode se voltar contra eles após dois anos no poder.

Para Herbert Weinberg, professor de Ciências Políticas na Universidade de Ohio, "as pessoas não prestam muita atenção em quem é seu governador quando votam para presidente". "Mas o governador, com certeza, pode ajudar na mobilização a favor de seu partido no estado", completou.

O cientista político Norman Ornstein, do American Enterprise Institute, recordou que na eleição presidencial de 2000 o governador republicano da Flórida foi uma vantagem no tabuleiro político para George W. Bush, já que uma recontagem dos votos no estado determinou o resultado da eleição. O governador em questão era o irmão do candidato republicano Jeb Bush. Paralelamente, os novos governadores republicanos podem revisar os títulos eleitorais para obter vantagens.

Uma vez a cada 10 anos, o censo americano publica os números da população dos Estados Unidos. Na maioria dos estados, os governadores podem redefinir o jogo eleitoral em função dos novos dados, mas também em função de sua tendência política. Os republicanos poderiam, portanto, mudar as fronteiras de circunscrições isolando os eleitores democratas em meio a áreas habitadas por conservadores.

Isto não teria impacto direto sobre a eventual reeleição de Obama, mas poderia favorecer os candidatos da oposição nas legislativas de 2012.

Os americanos renovarão em 2 de novembro as 435 cadeiras da Câmara de Representantes, 37 das 100 vagas no Senado e 37 postos de governador de um total de 50. Os democratas têm atualmente maioria nas duas Casas do Congresso e controlam 26 governos estaduais, contra 24 dos republicanos.