Líder israelense faz chamado à paz em data expressiva para Israel

 

O presidente israelense, Shimon Peres, pediu persistência nas negociações entre israelenses e palestinos, atualmente bloqueadas, durante o 15º aniversário, segundo o calendário hebraico, do assassinato do primeiro-ministro Yitzhak Rabin por um extremista de direita.

"Não devemos nos desviar de nossos esforços de paz, inclusive nos momentos difíceis", pediu o presidente Peres durante uma cerimônia no cemitério de Mont Herzl, em Jerusalém, na qual qualificou as negociações de paz como uma "herança de Rabin".

"Compartilho sua opinião de que é preciso seguir sempre pressionando pela paz", acrescentou o primeiro ministro israelense, Benjamin Netanyahu, ao seu lado.

Retomadas no dia 2 de setembro em Washington, as negociações diretas entre palestinos e israelenses estão interrompidas desde que expirou, no dia 26 de setembro, a moratória de dez meses sobre a colonização na Cisjordânia.

Ícone entre os partidários da paz, Yitzhak Rabin foi assassinado no dia 4 de novembro de 1995 em Tel Aviv por um ultrareligioso, Ygal Amir, que queria sabotar os acordos de paz de Oslo (1993).