Irã insiste na retomada de negociações sobre programa nuclear

     TEERÃ - O porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros do Irã, Ramin Mehmanparast, afirmou nesta terça-feira que o governo do presidente Mahmoud Ahmadinejad está aberto para retomar as negociações sobre o programa nuclear. Ele já havia reclamado de um suposto desinteresse do grupo P5 + 1 (China, França, Rússia, Inglaterra e Estados Unidos, além da Alemanha) nas discussões.

Para o governo iraniano, é fundamental que as negociações considerem a chamada Declaração de Teerã, que se refere ao acordo para a troca de urânio, negociado pelo Brasil e a Turquia em maio. Por esse acordo, o Irã se dispõe a enviar urânio levemente enriquecido para a Turquia. Em troca, receberá o produto enriquecido a 20%. O projeto será apresentado aos líderes do P5 + 1. A expectativa é que a reunião aconteça em novembro.

De acordo com a rede estatal de televisão do Irã, PressTV, o porta-voz iraniano lembrou que as negociações sobre o programa nuclear tiveram início em outubro de 2009 e que o país ainda aguarda resposta a uma carta enviada à União Europeia em julho deste ano.

Segundo Mehmanparast, os resultados de um encontro poderão se mostrar “frutíferos” caso seja mantida uma atmosfera de cooperação e não de confronto.

A comunidade internacional, liderada pelos Estados Unidos, aprovou em junho uma série de sanções ao Irã em decorrência de suspeitas de que o programa nuclear esteja escondendo a produção de armas atômicas. As restrições limitam as negociações econômicas, comerciais e militares, principalmente.