"É como aguardar um parto", diz primeira-dama chilena

A primeira-dama chilena, Cecilia Morel, viajou neste sábado a Copiapó, no norte do país, para levar apoio às famílias dos 33 mineiros presos na mina San José. Cecilia buscou tranquilizar os parentes. "Não vamos nos apegar a uma data específica, vamos confiar nos especialistas", disse a mulher do presidente Sebastián Piñera. "É como aguardar um parto", afirmou ela.

Por volta das 8h locais (9h em Brasília), a perfuradora que operava no chamado Plano B chegou ao abrigo onde os homens estão presos. O ministro da mineração chileno, Laurence Golborne, comemorou junto aos parentes, que haviam passado a noite acordados para acompanhar o avanço da perfuração.

"Os mineradores sabem o processo que vem agora e estão muito tranquilos, mais calmos do que a imprensa ao menos", disse o ministro em uma breve entrevista coletiva. "Levamos 33 dias de perfurações para chegar ao local onde estão os 33 mineradores (...), agora não podemos nos apressar para definir situações importantes, vamos levar o tempo que for necessário", afirmou Golborne diante de perguntas da imprensa para saber o dia exato do resgate final.

Durante a entrevista, o ministro Golborne informou que, durante o dia, serão desmontadas as 105 peças da perfuradora para introdução de câmeras que examinarão o conduto.