Chile: ministro diz que ainda há trabalho a fazer para resgatar mineiros

     MINA SAN JOSE, Chile - O ministro da Mineração chileno, Laurence Golborne, confirmou neste sábado a chegada da broca de perfuração até o local onde estão os mineiros presos na jazida de San José, norte do Chile, às 8h05 (9h05 de Brasília), mas advertiu que ainda resta muito trabalho a fazer. "Ainda resta um longo caminho a percorrer e precauções a serem tomadas ", indicou, acrescentando que os mineiros "estão muito tranquilos, mais tranquilos do que a imprensa".

"Hoje (sábado) às 8h05 da manhã, rompemos o nível de 622 metros", explicou Golborne, referindo-se ao momento em que a perfuradora T-130, uma das máquinas que trabalhava no resgate, completou sua meta de perfuração e alcançou o ponto onde os mineiros estão.

"Tudo foi feito de maneira controlada, com uma câmera, ao mesmo tempo em que os mineiros, lá embaixo, iam indicando o caminho" ao operador da perfuradora, relatou. "Foram 33 dias de perfuração para resgatar 33 mineiros ", disse o ministro.

Concluída a escavação do duto, a máquina será desmontada; em seguida, uma câmera de vídeo será introduzida para avaliar a situação das paredes do duto. Com esta informação, as equipes definirão se o caminho será revestido com tubos metálicos ou não, ou se será apenas revestido parcialemente, explicou.

Dependerá desta decisão a data prevista para o início do resgate dos mineiros, presos desde 5 de agosto. "Vamos continuar suspendendo as brocas, e isso vai levar umas seis horas, pelo menos. Depois, vamos introduzir uma câmera para revisar o duto com cuidado, e isso vai tomar mais algumas horas", explicou Golborne, destacando que no fim do dia dará mais informações sobre como o trabalho prosseguirá.