Restaurantes de NY têm cada vez mais estrelas no guia Michelin

Com 57 restaurantes "estrelados" na edição 2011 do guia Michelin, Nova York ocupa o quinto lugar das cidades mais premiadas do mundo, mas é a rainha da diversidade culinária.

Na sexta edição de seu guia anual dedicado a Nova York, Michelin subiu para dez a quantidade de "duas estrelas" e deixou inalterada a quantidade de "três estrelas", a recompensa máxima, que somente cinco restaurantes receberam.

Três estabelecimentos franceses - Jean Georges, Daniel e Le Bernardin -, o japonês Masa de Masa Takayama e Per Se, do chef californiano Thomas Keller, mantém-se no firmamento.

O recorde dos "três estrelas" que "justificam a viagem" - segundo a fórmula do famoso guia gastronômico - foi para Tóquio, com um total de onze, à frente de Paris (10), Quioto (6) e Nova York (5).

A categoria "duas estrelas" da boa mesa, que tinha passado de quatro para seis restaurantes no ano passado, conta agora com dez estabelecimentos com essa qualificação.

Além do japonês Soto no Greenwich Village e do italiano Marea, próximo ao Central Park - não muito longe do Jean Georges de Jean Georges Vongerichten -, destaca-se um armazém-restaurante do Brooklyn (sudeste), o Brooklyn Fare, onde o chef César Ramirez é um ex-colaborador do chef David Bouley.

O assombroso restaurante japonês Kajitsu, do East Village (sudeste de Manhattan), onde se disfrutam pratos vegetarianos "shojun" preparados segundo a tradição dos antigos monastérios budistas, conquistou sua segunda estrela depois de uma primeira recebida em 2009.

No total, 57 restaurantes recebem uma ou mais estrelas, ou seja, dez mais que no ano passado, destaca a guia.

Apesar de Nova York ficar atrás de Tóquio (197 restaurantes com estrelas), Quioto (85), Osaka (65) e Paris (64), supera Londres (48) e Hong Kong (42).

No entanto, a cidade do Empire State é a rainha incontestável da diversidade culinária. Quinze tipos diferentes de cozinha recebem estrelas, desde a espanhola e a austríaca, passando pela iraniana, italiana, japonesa, as churrascarias ou os pubs ingleses.

É seguida por Londres, com nove tipo de gastronomias distintas com estrelas (encabeçam a cozinha indiana, paquistanesa e tailandesa). A capital japonesa, apesar de ter um recorde de 150.000 restaurantes, apenas oferece sete.

Paris distingue-se por seu chauvinismo: de 64 restaurantes com estrelas, apenas dois são verdadeiramente estrangeiros: o espanhol Fogon e o japonês Aida, todos gratificados com uma estrela.

Nos últimos anos, a Michelin enriqueceu sua lista de estabelecimentos que oferecem um menu completo por 25 dólares ou menos, que são um total de 127, contra 109 no ano passado.

Nos Estados Unidos, a Michelin publica três guias: depois de Nova York e San Francisco, o de Chicago será publicado em novembro.