Heliporto para resgate de mineiros está pronto

As autoridades apresentaram neste domingo heliportos de onde os 33 mineiros presos desde agosto a 700m de profundidade serão levados a um hospital próximo no dia em que forem resgatados.

Um dos heliportos já está instalado e funcionando e na sua pista simples de pedras aplanadas por máquinas, cobertas por água e sal e um círculo marcado em cal, aterrisou em visita à mina o presidente Sebastián Piñera, disse aos jornalistas José Hernández, encarregado das pistas e de parte da equipe da estatal Corporación del Cobre (Codelco).

A segunda pista, que fica ao lado do primeira, ficará pronta nesta semana, disse Hernandez. Ambas medem cerca de 50m x 50 m .

As pistas rudimentares estão localizadas em uma colina a cerca de 950 m de distância de onde trabalham as 3 perfuradoras que estão realizando as escavações para chegar ao abrigo onde os 33 homens ficaram presos em 05 de agosto, após um colapso na mina de ouro e cobre, no norte do Chile.

Uma vez que os mineiros sejam resgatados eles serão transferidos de ambulância para um módulo de cuidados primários e, em seguida, a um hospital de campanha na área da mina. Quando estiverem estabilizados ou os médicos determinarem que estão em condições eles poderão ver um ou dois parentes em outros módulos, que começaram a chegar na mina no último sábado, como explicado pelo ministro das Minas, Laurence Golborne.

Quando os trabalhadores estiverem fora do túnel, operação que Golborne calcula ser realizada na segunda metade de outubro, serão levados a partir dos heliportos em quatro helicópteros Bell 412, que podem transportar normalmente de três a seis passageiros e três tripulantes, disse aos repórteres o capitão da Força Aérea Patricio Durney.

A viagem da mina até a cidade de Copiapó, capital da região de Atacama, leva cerca de 12 minutos de vôo e somente no dia da evacuação final dos mineiros se saberá quantos dos mineiros poderão viajar em cada aeronave, porque vai depender de sua condição física, disse o capitão.

Os mineiros podem ficar cerca de dois dias no hospital de Copiapó, que fica cerca de 800 km ao norte do Chile, disse o ministro da Saúde, Jaime Mañalich.