Blair considera realista meta de paz no Oriente Médio em um ano

O enviado especial do Quarteto para o Oriente Médio, Tony Blair, considerou neste domingo realista a meta do presidente americano, Barack Obama, de conseguir a paz entre israelenses e palestinos em um ano, em uma entrevista à emissora italiana.

"Acredito nisso por duas razões: a primeira é que se trata de uma das prioridades do presidente Obama desde sua eleição, e a segunda leva em conta o fato de que as pessoas querem paz", afirmou o ex-premier britânico, em entrevista à emissora pública Rai.

"A única possibilidade é alcançar a paz dando segurança ao Estado de Israel e soberania aos palestinos", disse Blair, representante do Quarteto Internacional (ONU, EUA, União Europeia e Rússia) para a paz no Oriente Médio desde junho de 2007.

Em 23 de setembro, Barack Obama lançou um chamado à ONU em Nova York para que o mundo apoiasse seus esforços com vistas a pôr fim ao conflito no Oriente Médio.

"Se fizermos isso, quando chegarmos no ano que vem, poderíamos ter um acordo que nos leve a acolher um novo membro nas Nações Unidas: um Estado da Palestina independente, que viva em paz com Israel", afirmou.

Na mesma entrevista, Blair lembrou dos tempos em que era primeiro-ministro e de sua relação com o chefe de governo italiano, Silvio Berlusconi, o qual definiu como um "bom amigo" da Grã-Bretanha que "jamais foi chato" durante as reuniões internacionais.