Advogado anuncia localização de documento antissemita com notas de Pétain

PARIS, 3 Out 2010 (AFP) -O documento original do Estado francês de Vichy que estabelecia um estatuto dos judeus em outubro de 1940, com anotações do marechal Philippe Pétain que reforçam seu caráter antissemita, foi localizado recentemente e teve a autenticidade comprovada, afirmou à AFP o advogado Serge Klarsfeld.

O documento foi entregue ao Memorial do Holocausto em Paris por um doador anônimo, segundo a advogado, famoso caçador de nazistas e fundador da Associação de Filhos e Filhas de Deportados Judeus da França.

Como a aquisição é recente, o Memorial ainda não decidiu como o documento será exposto.

O "projeto de lei" sobre o "estatuto dos judeus" tem anotações de Philippe Pétain feitas a lápis, que "modificam profundamente sua natureza", segundo Serge Klarsfeld.

"O texto, que já era extremamente antissemita, quando reescrito por Pétain ficou ainda mais", declarou.

Segundo o advogado e seu filho Arno Klarsfeld, que comparou a letra com a de outros textos manuscritos de Pétain, não há dúvida de que as anotações foram feitas pelo chefe de Estado francês.

"A descoberta deste projeto é fundamental. É um documento que estabelece o papel decisivo de Pétain na redação doestatuto e no sentido mais agressivo, revelando desta maneira o profundo antissemitismo de Pétain", destaca Serge Klarsfeld.

O documento inclui todos os judeus, sejam estrangeiros ou franceses. O projeto inicial queria salvar os descendentes de judeus nascidos franceses ou naturalizados antes de 1860, mas Pétain decidiu eliminar a menção.

A magnitude da exclusão dos judeus da sociedade também foi consideravelmente ampliada. A partir deste momento ficaram totalmente excluídos da justiça e do ensino, e também não podiam exercer cargos eleitorais.

"O principal argumento dos defensores de Pétain era dizer que ele havia protegido os judeus franceses. Este argumento cai", afirma Klarsfeld.