Abbas insiste em fim de colonização para retomada de diálogo

O presidente palestino, Mahmoud Abbas, insistiu neste domingo, após encontro com o rei da Jordânia, no fim da colonização israelense como condição para prosseguir o diálogo, segundo o palácio real.

"Não rompemos o contato com os americanos. Vamos continuar nos comunicando com eles para encontrar uma solução para o problema da colonização israelense que deve cessar antes que voltemos à mesa de negociações", declarou Mahmoud Abbas, segundo o comunicado.

"Israel negou-se a renovar o congelamento das construções nas colônias, e não podemos prosseguir com as negociações. Portanto, agora há um problema" que será abordado pelos países árabes, completou.

Abdullah II também manteve um encontro com o emissário americano George Mitchell, centrado nos "esforços para a retomada das negociações diretas entre palestinos e israelenses", que estão na corda bamba, afirmou o palácio real.

"O rei defendeu a importância do papel dos americanos nos esforços de paz (...) para alcançar uma solução baseada em dois Estados que garanta o estabelecimento de um Estado palestino que viva em paz e na segurança junto a Israel", segundo o texto.

Israel recusa-se a prolongar o congelamento parcial da colonização na Cisjordânia ocupada. A Organização para a Libertação da Palestina (OLP) defende, por sua vez, a suspensão das negociações, enquanto Israel continuar com a colonicação.

Netanyahu chamou Abbas no sábado a continuar as negociações "sem descontinuidade, para alcançar um acordo de paz histórico dentro de um ano".

O presidente palestino afirmou que tomará uma decisão definitiva depois de consultar os responsáveis árabes na Líbia, onde em 8 de outubro haverá reunião do comitê da Liga Árabe, nas vésperas de uma cúpula extraordinária.