Organização para a Libertação da Palestina defende suspensão de negociações com Israel

 

 

 

 

O presidente palestino, Mahmoud Abbas, recebeu o apoio neste sábado da Organização para a Libertação da Palestina (OLP) para suspender as negociações com Israel enquanto prosseguir a colonização na Cisjordânia ocupada.

Abbas ameaçou em várias ocasiões abandonar as negociações reiniciadas em 2 de setembro em Washington, caso as construções fossem retomadas nas colônias israelenses ao fim de uma moratória de 10 meses nos assentamentos, o que aconteceu no último dia 26.

"A direção palestina confirma que a continuidade das negociações requer medidas tangíveis da comunidade internacional, começando pelo fim da colonização", destaca a OLP em um comunicado.

"Há alternativas que anunciaremos em breve", completa o texto da OLP, que controla a Autoridade Palestina e na qual o movimento Fatah de Abbas tem um papel ativo.

O comunicado foi divulgado após uma reunião extraordinária do Comitê Executivo da OLP e de dirigentes do Fatah em Ramallah, sede da Autoridade Palestina na Cisjordânia.

Segundo uma fonte, Abbas, que preside a OLP e o Fatah, pode solicitar o apoio dos países árabes e da comunidade internacional para levar o caso das colônias ao Conselho de Segurança da ONU.

"A direção palestina considera o governo israelense responsável pelo fracasso dos esforços internacionais e do processo de paz na região porque está decidido a combinar negociações e colonização", completa a nota da OLP.

"O caminho para obtermos um acordo histórico entre nossos dois povos consiste em se sentar ao redor de uma mesa de negociações e realizar seriamente" essas conversas, respondeu o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu.

Ele lembrou que "durante 17 anos, os palestinos negociaram (com Israel) enquanto as construções nas colônias continuavam" e expressou sua esperança de que "agora não dêem as costas para a paz".

As autoridades palestinas, no entanto, prosseguirão com as conversações com a equipe do representante americano George Mitchell e apresentarão as conclusões durante uma reunião da Liga Árabe em 8 de outubro na Líbia, à margem de um encontro extraordinário árabe.

Abbas disse que tomará uma decisãon definitiva sobre o prosseguimento das negociações após consultar os ministros das Relações Exteriores dos países árabes na Líbia.

"Queremos que o comitê de acompanhamento árabe apoie a posição palestina sobre as negociações. Mas adotamos uma decisão sobre as negociações e estamos dispostos a assumir as consequências", declarou à AFP o dirigente palestino Yaser Abed Rabbo.

O objetivo da reunião de Ramallah era formular a posição palestina sobre o processo de paz antes da reunião de cúpula de Sirte.

A OLP é, para a comunidade internacional, a única representante legítima do povo palestino.

Para um dos principais membros do comitê central do Fatah, Jibril Rajub, "a bola agora está no campo da comunidade internacional para acabar com agressão unilateral (israelense) contra as terras palestinas onde supostamente deve ser estabelecido um Estado palestino".