Chile: 10 mapuches mantêm greve de fome por acordo 'insuficiente'

Um grupo de 10 mapuches presos na localidade chilena de Angol, que completam 82 dias de greve de fome, mantiveram esse protesto ao considerar que uma proposta do governo chileno, aceita por outros 23 mapuches, é "insuficiente", segundo o porta-voz dos grevistas.

"Algol mantém a greve porque consideramos insuficiente a proposta do governo", disse à AFP Jorge Huenchullán, o porta-voz dos grevistas de Angol, sul do Chile.

Na madrugada deste sábado, 23 dos 34 mapuches que mantinham uma greve de fome de mais de 80 dias desistiram do protesto ao chegar a um acordo com o governo para serem julgados por crimes comuns e não como terroristas.

Huenchullán afirmou que os julgamentos que estão em processo "no Ministério Público podem continuar invocando a lei antiterrorista" contra eles e, por isso, o grupo de grevistas representados por ele não aceitou o acordo.