Montesinos promove livros no final de seu julgamento

O ex-chefe da Inteligência peruana Vladimiro Montesinos, condenado nesta sexta-feira a 25 anos de prisão por dois massacres, aproveitou a audiência judicial para promover seus livros e tentar vendê-los aos jornalistas.

Montesinos, braço direito do então presidente Alberto Fujimori, fez pose para as câmeras e pediu a sua advogada, Estela Valdivia, que lhe trouxesse os livros, antes de informar aos jornalistas: "cada um custa entre 40 e 45 soles (14 e 16 dólares)".

Vladimiro Montesinos escreveu "Alerta: Espionagem chilena" e "Sem Sendero" na prisão da base Naval de Callao, no oeste de Lima, onde está preso desde 2001.