Ganhador do Nobel alternativo critica o presidente Lula

VIENA, 1 Out 2010 (AFP) -O bispo austro-brasileiro Erwin Kr¤utler, premiado com o "Nobel alternativo", fez críticas ao presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva, particularmente por sua política com os índios da Amazônia, em entrevista à rádio austríaca ?1, difundida esta sexta-feira.

"Lula sempre considerou os indígenas um obstáculo ao progresso", disse o bispo do Xingu, que criticou o carismático presidente às vésperas do primeiro turno das eleições que elegerão seu sucessor, no domingo.

Kr¤utler se opõe, concretamente, ao projeto da hidrelétrica de Belo Monte, na Amazônia, que afetará o entorno das populações indígenas.

Segundo o religioso, "30.000 pessoas serão deslocadas, mas não sabemos ainda para onde".

"Deve-se celebrar o compromisso de Lula com os pobres, mas tem sido de forma paternalista: cestas de produtos alimentícios ao invés de geração de emprego e redistribuição de terras", acrescentou Kr¤utler.

Ele também denunciou a influência do setor agroalimentar que levou à expulsão de "milhares de famílias forçadas ao êxodo para as periferias das cidades".

O religioso foi premiado pela fundação sueca que concede o "Nobel alternativo", a Right Livelihood Prize (Prêmio da Existência Decente), por sua ação em prol dos Direitos Humanos e ambientais das populações indígenas, as quais acompanha desde os anos 1960.

A Igreja brasileira decidiu, esta sexta-feira, indicá-lo também ao Prêmio Nobel da Paz.