Correa designa novo chefe da Polícia após rebelião

O general Fausto Franco assumiu nesta sexta-feira o comando da Polícia do Equador, após a saída de Freddy Martínez, que renunciou em razão da rebelião de policiais contra a redução de seus benefícios salariais. Franco foi designado por Correa, que fará um expurgo na Polícia após a revolta na véspera, assinalou nesta sexta-feira o ministro do Interior, Gustavo Jalkh. Durante a revolta, policiais rebelados impediram a saída de Correa de um hospital, para onde o presidente foi levado após ser agredido nos arredores de um quartel tomado pelos revoltosos. Correa foi finalmente resgatado por tropas leais ao governo, que travaram um intenso tiroteio diante do hospital. A rebelião deixou quatro mortos e 193 feridos. Policiais e militares rebelados também ocuparam diversos quartéis, as instalações da TV estatal do Equador, a Assembleia Legislativa e o Aeroporto Internacional de Quito. Ao prestar juramento, Franco pediu aos agentes de "diferentes patentes que realizem seu trabalho com afinco, perseverança e paixão visando um país livre da delinquência". "Estamos dispostos a mudar e realizaremos esta mudança", destacou o novo comandante da Polícia.