Novartis pagará multa de US$ 422,5 milhões por marketing ilegal nos EUA

 

O grupo farmacêutico suíço Novartis pagará 422,5 milhões de dólares para por um fim às acusações de marketing ilegal, principalmente sobre um medicamento contra a epilepsia, o Trileptal, anunciou esta quinta-feira o Departamento de Justiça americano.

A multa, que põe um fim às demandas penais e civis, corresponde a acusações, segundo as quais a "Novartis promoveu ilegalmente o Trileptal para (outras) várias indicações, especialmente psiquiátricas e de tratamento da dor, que não haviam recebido autorização médica".

A Novartis também teria violado o regulamento para outros cinco medicamentos, o Diovan (pressão arterial), o Zelnorm (transtornos digestivos), o Sandostatin (inibidor hormonal), o Exforge (pressão arterial) e o Tekturna (pressão arterial).

Ex-funcionários da Novartis que alertaram as autoridades sobre as práticas dividirão 25 milhões de dólares de recompensa, destacou o ministério em um texto.

Em um comunicado publicado em Basileia (Suíça), a Novartis informou que já tinha contabilizado uma provisão de 422,5 milhões de dólares nos resultados do segundo trimestre para o litígio.

O laboratório também informou ter sido avisado das demandas das autoridades da Pensilvânia (leste) em 2005 e que anteriormente modificaram suas práticas para ficarem conformes à legislação.

"Estamos contentes por termos encontrado uma solução", disse, em comunicado, o presidente da Novartis na América do Norte, Andy Wyss.